10 de maio de 2009

"sem saber"...

*Sem Saber*
O que vem aí?
Será bom?
Será mau?
Não sei bem.
Sei que bate uma claridade intensa em mim,
mas não sei o que vem aí.
Sinto um raiar bem forte.
Ah!
Já sei.
É o Sol a nascer.
***************************************

O autor do poema (originalmente escrito) que publico, tem 11 anos de idade. É meu filho e, embora não more comigo, são vários os fins-de-semana, que o tenho em companhia. Gosta de me ver escrever, sejam post´s no meu blogue, sejam comentários em outros blogues amigos. Gosta de ver o meu caderno de apontamentos, etc. Mostro-lhe, com o prazer de escrever, que as palavras são ou têm, o significado que lhes quisermos dar, desde que sentidas, puras e verdadeiras, como...
"O que nos vai na alma", o que está "dentro de nós" e nos faz "mexer".
De imediato um silêncio e, passado um bom tempo, enquanto eu lia um livro e ele se entretinha no portátil, habitual para qualquer criança nos tempos de hoje, sou, então, chamado a responder à pergunta:
Pai, achas que este poema está bonito?
Li e respondi:
Filho, gostas deste poema? Sentes o que te fez usar estas palavras?
Sim gosto, respondeu ele e, não o deixando sem resposta à sua pergunta, disse-lhe então:
O importante é que tu gostas e só isso conta. O que os "outros" possam sentir, gostarem ou não, para ti não altera o que escreves.
Eu gosto filho.
Sinto que algo te cativou a este poema. Não, o quereres imitar o pai ou os seus amigos dos blogues mas...porque sentiste e quiseste "deitá-lo" para fora, escrevendo.


19 comentários:

O Profeta disse...

As andorinhas do Mar chegaram
Com alegria tatuada nas penas refulgentes
Soltam chilreados estridentes
Dançam no azul, rodopiam contentes

A maresia adormeceu na areia
O mar transformou-se em espelho de água
Uma nuvem mirou-se nele
Verteu uma última gota de mágoa




Abraço

Alice Matos disse...

Tens toda a razão Rodrigo... nem sempre sabemos o que vem lá... e que apenas reconhecemos como uma bela claridade... É o Sol... é o sol que nos aquece e nos revela o caminho. E é muito bom...

Parabens pelo teu poema... não pares de escrever o que te vai no coração...

Beijo grande para ti...

teresa disse...

Rodrigo, Parabéns gostei muito do teu poema :)

Provas que filho de peixe sabe nadar ;)

Continua a escrever assim e se a opinião dos outros não é muito importante, a verdade é que gostamos sempre que os outros gostem do que fazemos...

Não sabemos o que vem aí, mas desejo-te tudo de bom :)

Um beijo com carinho :)

Ps: o pai deve ter ficado todo babado, né?

Fa menor disse...

Mas o poema é belíssimo!
Ou não falasse ele de luz,
de claridade...
de sol!
Que mais se pode almejar se não que uma claridade intensa ilumine todo o nosso ser?

Muitos parabéns...
ao autor
e ao pai babado!

Bjinhos

Paulo - Intemporal disse...

bel.íssimo e inquietante amigo Sérgio.

a____m____e____i

mesmo.

no saber ser filho, no saber ser pai, na perfeição da construção plausível da passagem dos dias.

abraço-V|O|S

e saio. comovido.

e o poema levo.O comigo, para dentro do silêncio.

:)

AnaMar (pseudónimo) disse...

Eu também gostei. Muito!
Parabéns ao jovem poeta.

f@ disse...

Sérgio parabéns e um beijinho aos dois... pelo B E L O... que tem o poema e os teus ensinamentos... só os afectos podem ensinar a pureza e o brilho das palavras... sente-se que o teu filho tem esse calor que vem da luz interior...

imensos beijinhos

GMV disse...

Mais importante do que o poema...mais importante do que o pai babado... foi esse momento de partilha, do pai e do filho, em que se fala de palavras... essas que guardam o nosso sentir.

Um beijo com carinho para os dois poetas

Alexa disse...

Lin maravilhoso o poema do teu filho e maravilhoso tambám a a mizade que vos une
comovi-me
beijos grandes

GarçaReal disse...

O que passou sabemos...

O que vem vive no mundo da incógnita.

O sol existe. Ele aconchega a alma no seu brilhar.

A beleza do poema...
Estranhar?
Não...Apenas a veia que herdou de quem tão bem escreve

Parabéns para ele

Para ti

Bjgrande do Lago

Beatriz disse...

ola sentid[a]...mente.
Boa noite.
Que os raios te brilhem sempre..
E para o pai que tao bem escreve , deixo o que vai na minha alma...um beijo junto do meu sorriso.
Com carinho
Bea

maria disse...

Belo poema
Parabéns
a poesia cresce assim
aos poucos
nos corações

beijo

Sol da meia noite disse...

Sentir o sol nascer... nem todos o sentem.

Que o teu filho o sinta a cada dia e que sempre deixe que o sentimento guie seus passos.

Gostei muito de ler.


Beijinhos aos dois * *

Vieira Calado disse...

Tem jeito, o miúdo!

Continue!

Um abraço

© efeneto disse...

Uma prova cabal que poemar nasce connosco, não se aprende a "escrever" poemas. Abraço aos dois.

Paulo - Intemporal disse...

amigo sérgio

venho desejar-te um bom fim de semana.

e saber de ti.

abraço-TE.

TristãoeIsolda disse...

Que importa o que virá, quando se sente a claridade do sol a bater em nós?
E o seu filho sente-a.

Abraço

Mariz disse...

Salvé!
Para si pai: eu já nem sei comentar estas crianças da nova Era de tão abençoadas e VIVAS, pelo que nos transmitem. Só o brilho que trazem os diferencia. E a nós, faz-nos ficar sem palavras. Foi o caso. Guardo-o nos Valores de que somos portadores e ajude-o sempre a que deles não se esqueça.
Bençãos para ambos.

Para ti, querido Rodrigo:

Os meus votos vão no sentido que sigas confiante de ti, neste percurso de palavras feitas poemas, sons feitos melodia e encanto, feito Amor!
Que saibas ouvir-te aí bem dentro..no teu peito. Verificarás que há uma voz, a tua, que te fala como se entrasses em diálogo contigo mesmo. Porém ela fala sem que a chames. Ela apoiar-te-á em tudo. É chamada a voz do silêncio...o teu!
Fica atento, pois ouvirás dela, coisas belíssimas que te servirão para viveres o teu dia a dia sem muitos sobressaltos ou medos!

Ah! Prepara-te também, para que o teu pai nem sempre concorde contigo...ou tu com ele...ou com oura pessoa qualquer~...até mesmo como a tua mamã. Digo-te isto para que não fiques triste quando isso acontecer...sabes quê? Porque as pessoas são todas diferentes! Todas! Nao há ninguém igual no mundo inteiro! Acredita em ti pensa em tudo e todos,com carinho e tolerância; meninos há que não são tão belos como tu e essa diferença pode atrapalhar-te um pouco. Apoia-te sempre na Beleza e no teu Poder, pois ambos trazem esse brilho que sentes.
Só isso conta.
Que o céu te proteja e que sejas feliz com quem tiveres por perto!

Deixo-te um beijo terno.

MAriz

ESPAVO!

Deixo-te esta saudação que adoptei por ser muito bela. Foi-nos transmitida por uma civilização antiga chamada Lemúria e quer dizer:

"reconhecendo a Luz que há em ti"!
ao que acrescento: como o teu Sol que tão bem descreveste!

Eli disse...

"O poeta é um fingidor
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
Aquela que deveras sente..."

(Fernando Pessoa)

Esta é a primeira estrofe do meu poema preferido e único que decorei até hoje.

Quando escrevemos, somos nós ali a ser lidos e "quase estuprados" quando nos deixamos ler. No entanto, quanto mais damos mais temos, mais somos. As palavras geram palavras.

Parabéns. A semente da palavra e do sentir está ali.

:))